Biden com seu governo baseado na diversidade fará com que americanos comuns se sintam estrangeiros em seu próprio país

Biden já começa errado. É fruto de uma eleição cheia de irregularidades e fraudes. Mas o pior é a escolha de seus auxiliares. Pretende ter uma mistura baseado em minorias com a finalidade de agradar a todos.

Por exemplo, a vice-presidente é Kamala Harris, nascida em 1964, filha de uma indiana tendo como pai um jamaicano. Até ai tudo bem, o problema é que essa senhora, que foi candidata à presidência por um curto período, já manifestou-se entre outras coisas a favor da maconha recreativa.

Para se ter uma ideia da misturada que fará parte do governo; "Pela primeira vez na história do país, [Joe Biden] escolheu um ex-general negro como secretário de Defesa e um ex-imigrante para chefiar o Departamento de Segurança Interna. Teremos a primeira mulher secretária do Tesouro, uma negra chefiará o Ministério da Habitação, um filho de imigrantes mexicanos, o Ministério da Saúde", relaciona um cientista político.

Já a historiadora americana Sylvie Laurent acha que se espera muito mais da administração Biden; "As minorias nos Estados Unidos, e os negros em particular, esperam muito mais do que um vice-presidente e uma série de membros negros do gabinete".

Esse governo parece estar mais preocupado em mostrar rostos que representam a mistura de povos que formam o país que a verdadeira eficácia administrativa. Nunca se viu escolhas tão absurdas.

Este momento é o menos adequado para mostrar esse carnaval de caras novas pois o país tem que lidar com a Covid-19 que tem causado grande impacto à economia e tem atingido todos os setores da vida do país.

Parece que quem fica mesmo esquecido é o americano branco, comum, maioria no país. Terá que conviver com uma administração cada vez mais de esquerda e se sentirá um estrangeiro em seu próprio país.

O que muito bem pode acontecer, isso se já não estiver planejado é que em pouco tempo Biden, que está com alzimer, será impedido do mandato deixando este para Kamala Harris, a vice. Esta certamente deixará transparecer todas suas ideias esquerdistas sem mais nenhuma preocupação.

Outra hipótese é que as fraudes na eleição e a escolha da vice tão apropriada e esses outros auxiliares sem um fundamento lógico faça parte de uma estratégia do governo mundial, que certamente, tem o maior interesse em conquistar os Estados Unidos. Tudo pode ser uma grande trama que só o tempo desvendará. (Leonardo Bezerra) Deixe seu comentário.