Isentões; os maiores inimigos de Bolsonaro e do Brasil

27/01/2021

Por Leonardo Bezerra

Muito se fala de pessoas de direita e de esquerda, mas ninguém lembra de um grupo que é ainda pior; os isentões. Isto porque são camuflados, em grande número e por serem omissos não ajudam em nada no desenvolvimento do Brasil.

Eles usam daquela máxima antiga que; "em política, religião e futebol não se meche". E assim vão passando desapercebidos. Quando perguntados sobre política dizem que não gostam de política, que todo político é ladrão.

Se para alguns político é ladrão, e não faz nada contra, significa que é conivente com o ladrão.

Por outro lado, essa desculpa só colava antes do advento "Bolsonaro". Hoje já não se pode dizer que todo político é ladrão. Basta ver a vida exemplar do próprio presidente e que em seu governo não houve até agora nenhuma corrupção envolvendo elementos de seu grupo. E os que não são do grupo, são estritamente vigiados e presos.

O perfil básico de um isentão é o de uma pessoa preguiçosa, acomodada, inútil. Em geral ou aposentado ou muito bem sucedido. Acha que não precisa de nada dos governos e portanto pode dar-se ao luxo de ser isento. Esquece que tanto riqueza quanto aposentadoria podem cessar de uma hora para outra num regime comunista.

Mas no fundo todo isentão é de esquerda, pelo simples fato de ver as grandes misérias que a esquerda promoveu e tenta promover no país e não fazem nada. Não dizer nada contra algo errado é ser conivente. É tão culpado quem faz o erro quanto quem o permite.

O próprio Jesus era contra isentões: "Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente... porque és morno, vomitar-te-ei da minha boca", disse.

Há vários tipos de isentões; os desinformados, quase analfabetos, os bem informados mas omissos e os do meio, que é a grande maioria.

O pior dos isentões é que são em grande número. Usufruem de todos os benefícios conseguidos com sacrifício pelo governo Bolsonaro e sua equipe. É no mínimo injusto essa falta de apoio. O pior de tudo é que tem ainda os que criticam o governo. Se em nada ajudam como acham que tem direito de criticar?

A maioria tem noção de que se o governo cair novamente não mão da esquerda, o Brasil estará irremediavelmente perdido. Aborto será liberado, ideologia de gênero nas escolas, fim da família como a conhecemos, fim das igrejas, grande parte do território vendido para estrangeiros, desemprego, invasão da propriedade privada, verbas para minorias privilegiadas, censura de toda espécie. A maioria viverá na escravidão do comunismo e uma minoria dominante na riqueza.

É hora dessas pessoas tão cegas e injustas acordarem, pois se elas mesmas não chegarem a passar pelas agruras do comunismo, seus filhos e netos passarão. Bolsonaro é um fio de esperança que não deve ser desperdiçado pela indiferença. Deve ser apoiado em tudo. Basta lembrar dos grandes exemplos que temos com nossos vizinhos da Venezuela e Argentina. Será que é isso que queremos? (Deixe seu comentário e compartilhe)