Ministro das Relações Exteriores Ernesto Araújo refresca a memória dos apoiadores de Lula e outros incautos

11/03/2021

Por Leonardo Bezerra

Lula dá entrevista às redes de televisão como se fosse uma pessoa normal. Pensa que as pessoas são idiotas e já esqueceram tudo que ele fez de horrível para o Brasil.

Ernesto Araújo, em suas redes sociais dá uma refrescada na memória de quem esqueceu como era a política externa no governo Lula. Isto é apenas uma gota no oceano de erros e roubos de toda espécie que ocorreram naquele governo e que tem reflexos até hoje.

Eis o que Araújo diz:

"Só para recordar como era a política externa da Era Lula: hostilizar os EUA e a Europa, ignorar o Japão, discriminar Israel, desvincular o Brasil dos países desenvolvidos e das democracias, fechar a América do Sul para criar um bloco coeso de corrupção, terrorismo e crime, confraternizar com antissemitas, financiar ditadores, defender na ONU, a agenda anti-vida e anti-família, perder acordos comerciais, abandonar nossos exportadores e investidores para não incomodar os aliados na Argentina e Bolívia, desindustrializar o país"

O ministro lembrou também:

"Ser chamado de anão diplomático, ajudar Chávez e Maduro a destruírem a Venezuela, adotar atitude submissa diante da China, ofender a África, falar de paz e cooperar para esconder a roubalheira, desprezar o sentimento conservador e cristão do povo brasileiro, etc. Então, prezados lulólatras: dobrem a língua antes de falarem da nossa política externa que luta e trabalha pela liberdade, identidade, segurança, desenvolvimento, soberania e grandeza da nação brasileira. Aqui não é Lulaland, aqui é Brasil", concluiu o ministro.

O ministro mencionou apenas uma gota num oceano de incompetência e pura maldade praticada pelo petista.

Cabe lembrar as inúmeras obras abandonadas, que agora em pouco tempo e mesmo com pandemia estão sendo terminadas pelo governo Bolsonaro, o famigerado Foro de São Paulo, as escolas e universidades produzindo robôs ideológicos, pagamento de milhões às redes de TV para manter silêncio sobre seus desmandos, construções faraônicas em países de esquerda com o dinheiro do povo brasileiro, que nunca mais voltou, etc.

Só mesmo uma pessoa sem um pingo de noção ou então cheio de revolta e maldade pode apoiar um sujeito desses.