Quanto mais Bolsonaro sobe mais a Globo desce

18/08/2020

Pela primeira vez na história da Globo aparece um inimigo de peso que mesmo sem fazer o menor esforço derruba o poderio da emissora a cada dia que passa. Na verdade é muito simples derrubar a Globo; é só ser honesto, trabalhador incansável, não permitir corrupção e ter Deus no coração e nas ações. Coisas insuportáveis para quem não é do bem.

Bolsonaro apenas veio ser o símbolo de milhões de brasileiros que sempre foram honestos e do bem. Criou um contraste com pessoas que viviam da maior podridão que o ser humano é capaz de produzir e praticar.

A cada viajem do presidente nasce novo pesadelo para quem é de esquerda, pois se ve as multidões que o aplaudem por todos os cantos do país. Até o nordeste, um reduto que vivia de esmolas, finalmente acordou e já não se deixa enganar. As obras que ficaram por décadas paradas ou apenas no papel, começam a surgir por todo o pais gerando empregos e desenvolvimento que já deveria ter sido feito há muito tempo atrás não fosse a politicagem de corrupção.

Mesmo no pior momento do Brasil de todos os tempos, que é a pandemia, o Brasil não parou de crescer, de inovar e de apresentar os melhores resultados nem sequer sonhados em governos anteriores. Claro que isso gera inveja e ódio de todos que são contra o governo. No caso específico da Globo, a emissora simplesmente omite os feitos do governo trazendo aos poucos telespectadores que ainda lhes resta a ideia de que o governo não faz nada.

Até bem pouco tempo acreditavam que poderiam derrubar Bolsonaro. Mas o presidente se agiganta nas pesquisas até mesmo de institutos conhecidos por resultados escusos. A cada viajem, a cada passo, a popularidade aumenta e paira no ar entre os milhões de brasileiros, uma esperança e até mesmo uma felicidade que nunca conheceram antes.

Por outro lado, com a delação de Dario Messer, a dispensa de artistas, queda de audiência e portanto de anunciantes levam a emissora dos Marinhos a verificar que realmente podem estar com os dias contados.

O seu público atual resume-se em pessoas esquerdistas que só querem derrubar Bolsonaro, pessoas simples que não conseguem acesso a outros meios para que possam ter uma visão verdadeira do que acontece no Brasil e pessoas que vivem do passado, acreditando ainda em um jornalismo sensacionalista que tenta moldar a realidade conforme seus interesses muitas vezes bem longe da verdade. (Leonardo Bezerra) Deixe seu comentário.