Sementes recebidas da China por brasileiros contém pragas perigosas para a agricultura

03/01/2021

Há vários meses cidadãos comuns do Brasil vem recebendo pacotes de sementes não solicitadas provenientes da China. O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento analisou 36 amostras com a conclusão de que apresentam risco fitossanitário ao país.

As sementes chegam em pacotes pelo correio, vindas da China sem nenhuma solicitação e para cidadãos aleatórios que não tem nenhum contato com aquele país.

Pela quantidade já recebida, e pelos valores das postagens chega-se à conclusão de que se trata de algo muito bem organizado e não uma brincadeira, como poderia parecer.

A China tem grande interesse no Brasil, sobretudo em suas terras cultiváveis. Como se sabe, os chineses com uma população de mais de 2 milhões de pessoas, vem explorando todos os recursos possíveis, inclusive de forma predatória, como acontece com os oceanos.

A ideia por traz desses envios é possivelmente o de minar a agricultura brasileira com pragas daninhas estragando seu rendimento e crescimento. Como se sabe, o Brasil é conhecido como celeiro do mundo, e é da agricultura que vem grande parte da riqueza do país.

Minar e destruir a agricultura é um meio para desvalorizar as terras que poderiam ser compradas por laranjas contratados pelos chineses e ao mesmo tempo destruir a economia gerando um caos no governo. Isto criaria um momento propício para uma invasão disfarçada com a compra de empresas, captação de políticos de ideias esquerdistas, que aliás já vem acontecendo, e muito mais.

A situação é bastante preocupante e o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento informa que:

"No total, 47% das amostras já analisadas apresentaram risco fitossanitário ao país. Após avaliação de risco fitossanitário, realizada pela área técnica do Departamento de Sanidade Vegetal e Insumos Agrícolas do Mapa, foi identificado que uma amostra continha a espécie Myosoton aquaticum, praga ausente no Brasil e com potencial para ser considerada quarentenária, ou seja, com risco de estabelecimento no país e de causar danos fitossanitários. Essa espécie apresenta resistência a herbicidas, o que torna seu controle difícil. A introdução dessa planta daninha no país pode ter impacto econômico negativo".

O diretor do Departamento de Sanidade Vegetal e Insumos Agrícolas, Carlos Goulart, diz o seguinte:

"Após análises laboratoriais, pode-se avaliar que a introdução de material propagação (sementes ou mudas), mesmo em pequenas quantidades, sem atender aos requisitos fitossanitários e de qualidade estabelecidos pelo Mapa, coloca em risco a agricultura brasileira".

O referido Ministério recomenda aos brasileiros que não abram os pacotes e que os encaminhe para uma das unidades do Mapa em seu estado. E para aqueles que já plantaram as tais sementes, solicita que entrem em contato com um representante do órgão estadual de defesa para agendar o recolhimento do material.

Os chineses estão mesmo decididos a invadir o Brasil. É de forma sutil e gradual; compra de empresas, diretamente como já aconteceu com a Band, ou através de laranjas.

A invasão de produtos já aconteceu. Hoje se torna quase impossível alguma fábrica brasileira concorrer com a enxurrada de produtos de má qualidade e a preço de banana que vem da China. Isto gera o desemprego e a estagnação da área de fabricação nacional.

A compra de políticos falsos patriotas já vem acontecendo há muito tempo. Um exemplo é o governador de São Paulo totalmente atrelado aos chineses. Os cidadãos brasileiros de bem tem que ficar atentos para não escolher políticos errados e denunciar tudo isto que vem ocorrendo. (Leonardo Bezerra)